Super-humano brasileiro e o desafio de 250 km em meio a montanhas e selvas

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Ultramaratonista Carlos Dias, primeiro sul-americano a percorrer os quatro desertos mais extremos do planeta, fará dupla com Vladmi Virgílio.Considerado um super-humano pelo canal de TV norte-americano "History Channel" e listado duas vezes no livro dos recordes, o ultramaratonista brasileiro Carlos Dias tem uma premissa básica dentro do esporte: nunca parar de correr, rumo a desafios inéditos.


É é baseado nisso que o super-humano brasileiro, considerado o primeiro sul-americano a enfrentar os quatro desertos mais extremos do mundo (Gobi, Sahara, Antartica, Atacama), segue para seu próximo desafio: Racing The Planet New Zealand 2019.

Na 11ª edição da prova, o cenário é a ilha Sul da Nova Zelândia , a Queenstown, solo que recebe, pela primeira vez, esse tipo de prova.

Ao todo, serão 250 km percorridos em sete dias na primeira quinzena do mês de março, em uma prova de autossuficiência - o atleta terá que administrar toda a alimentação, hidratação, equipamentos para frio, chuva e várias outras intempéries em uma pequena mochila.

A prova acontece por etapas, com uma média de 40 km diários. "No 5º dia, o próprio teste de resistência separa ‘meninos de guerreiros’, é quando a média diária sobe para 80 a 100km, o que exigirá que os atletas percorram uma média de 20 horas, passando dia e noite em selva, montanhas, cruzando rios, fazendas e tendo o contato direto com os povoados locais", dis Carlos Dias.


E essa não é a única novidade. Será a primeira vez que dois atletas do mesmo país, e que completaram os quatro desertos mais extremos do mundo, irão percorrer uma prova extrema juntos, lado a lado, em uma missão de superação, resiliência e companheirismo.

O ultramaratonista  terá a companhia de Vladmi Virgílio. O atleta paralímpico que, aos 30 anos de idade, perdeu a visão, será guiado pelos olhos de Carlos, enquanto esse receberá a condução e a sensibilidade de outros três sentidos (audição, olfato e tato) para seguir em um desafio que requer muita resiliência e companheirismo.


"Muito mais do que físico, este desafio testa, no limite, a aptidão de observação, estratégia mental, além do emocional e a capacidade de relacionamento", reforça o super-humano.

Carlos Dias, nascido em São Bernardo do Campo (SP) e atualmente com 46 anos de idade e 26 anos de carreira, acumula 145 mil de km percorridos em mais de 80 países – o que é equivalente a três voltas e meia no planeta terra.

Suas conquistas são diversas, como correr mais de 300 dias seguidos e uma média de 65 km por dia. E seus desafios se revertem em apoio ao GRAACC, instituição social sem fins lucrativos que garantem às crianças e aos adolescentes com câncer as chances de cura.


O seu título de super-humano , concedido pela The History Channel, surgiu exatamente pelo desafio dos quatro desertos, realizados todos em menos de um ano, e alguns com distância de menos de três semanas, quando Carlos migrou de temperaturas acima de 50 graus Celsius, para menos 50. E tudo isso com um calçado feito a partir de material reciclável, proveniente de garrafa pet, e isopor.m.br/

Fonte: Esporte - iG @ https://esporte.ig.com.br/maisesportes/2019-02-07/super-humano-carlos-dias.html

FTDE-Federação Tocantinense do Desporto Escolar © 2019

Search